11/05/2021

Angola participa na reunião de peritos da Comunidade Económica dos Estados da África Central


 
Peritos da Comunidade Económica dos Estados da África Central estiveram reunidos no fim da última semana para preparar a reunião dos ministros do sectores dos transportes e da aviação civil, decorrida nesta segunda-feira.

A reunião foi aberta pelo Embaixador e Presidente da comunidade, Gilberto da Piedade Veríssimo e presidida por Apombi Eugene, conselheiro do Ministro da Aviação Civil da República do Congo.

O objectivo desta reunião de técnicos, que discutiu igualmente o ponto de situação na execução das decisões da 15.ª Conferência de Chefes de Estado e de Governo (CCEG) da ECCAS sobre liberalização do mercado dos serviços de transporte aéreo na África Central, avaliou o nível de aplicação dos instrumentos e medidas de execução imediatas do transporte aéreo africano.

Os peritos africanos do sector da aviação elaboraram também um  espectro para o desenvolvimento de um roteiro para melhorar o serviço aéreo e a conectividade das cidades da África Central, incluindo estratégias de curto e médio prazo.

Estas propostas dos peritos foram remetidas aos titulares dos transportes dos países membros para validação. O roteiro proposto pelos peritos foi discutido pelos ministros responsáveis, mas, desde que incluísse objectivos claros, mensuráveis e exequíveis.

Neste encontro, foi chamada a atenção dos peritos para as suas responsabilidades de guiar os ministros com as suas luzes, de modo a que a comunidade económica dos Estados da África Central (ECCAS) pudesse implementar o mercado único do transporte aéreo em África e responder aos desafios de segurança do transporte aéreo.

Antes de encerrar as suas observações e entregar a abertura dos trabalhos, o conselheiro do ministro congolês sugeriu que a implementação do Roteiro contribua para a melhoria das trocas comerciais entre os diferentes países CEEAC.

Os peritos cumpriram uma ordem de trabalho especifica ligada execução das decisões do 15º encontro da ECCAS, a liberalização do mercado de serviços de transporte aéreo da África Central, a apresentação do relatório de diagnóstico sobre a segurança da aviação civil na região e do relatório sobre o nível de aplicação dos instrumentos MUTAA e as suas medidas de execução imediata pelos Estados-Membros da ECCAS.

Para a reunião dos ministros do sector realizada nesta segunda-feira, os peritos recomendaram a execução das decisões do 15º encontro da ECCAS sobre liberalização e observaram que as quatro (04) decisões relativas ao exercício da profissão no sector aéreo, o acesso ao mercado, tarifas, concorrência e isenções de determinadas categorias de acordos não aplicadas, nomeadamente devido à multi-adesão dos Estados-Membros da ECCAS.

Os técnicos peritos também recomendaram de forma mais limitada a ligação dos Estados-membros da CEEAC ao processo de operacionalização da MUTAA.

Foi manifestada a preocupação em relação a revisão do Relatório de Diagnóstico da Segurança da Aviação na África Central, desenvolvido e apresentado pela Comissão ECCAS, permitiu aos peritos harmonizar os dados disponíveis sobre a segurança da aviação.

Foi registado através de medições técnicas os progressos e o nível de melhoria das suas capacidades operacionais na prestação de serviços de supervisão de segurança.

A partir deste diagnóstico, observaram que, embora alguns Estados tenham feito progressos na implementação dos padrões e práticas recomendados pela ICAO, marcados por uma taxa de implementação  acima da média global de 68,55% e a média global do ECCA de 51,21%, alguns membros registam dificuldades para executar e implementar estas medidas de segurança.

Assim sendo, para melhorar os níveis de segurança destes estados-membros, foi recomendado a apresentação do seu diagnóstico sobre a segurança da aviação civil na África Central aos Ministros responsáveis pelo transporte aéreo, a criação da agência regional de aviação civil da CEEAC, e manter a Agência Central de Supervisão da Segurança da Aviação da África Austral (ASSA-AC) como seu braço técnico, tal como foi decidido na Reunião de Ministros de 2012 em Bujumbura;

Os peritos registaram com preocupação o surgimento da pandemia da Covid-19 que está a impactar sobre o desempenho do sector e apontam medidas para promover o renascimento da aviação civil no região, incentivar os estados com uma taxa de implementação inferior à 60% para aderir à MUTAA para beneficiar da assistência da CAFAC.

Angola, Burundi e São Tomé e Príncipe, foram apontados como os estados-membros que não aderiram formalmente à MUTAA.

Além disso, os peritos observaram que o mecanismo de liberalização transporte aéreo desenvolvido como parte da MUTAA visa melhorar a conectividade na África Central.
Com efeito, observaram que o regime consiste apenas em instrumentos de concorrência, de protecção dos consumidores e da obrigação dos estados reverem todos os acordos bilaterais com outros estados-membros da União Africana, a fim de garantir o cumprimento do DY.

Sobre este aspecto os peritos recomendaram tomar medidas para completar o mecanismo de liberalização do transporte aéreo na África Central, criar um mecanismo de sensibilização e monitorização da implementação da MUTAA e dos seus benefícios.

Os objectivos destas recomendações visam alcançar o mesmo nível de compreensão e adesão, tendo como perspectiva a necessidade de integrar o turismo, o comércio e o mecanismo de liberalização do transporte aéreo na África Central.

O encontro de peritos foi co-organizado pela República do Congo.

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES em Luanda, aos 10 de Maio de 2021

Sem comentários:

Enviar um comentário

Tens algo a dizer?