sexta-feira, 16 de julho de 2021

Detidos dois funcionários e um estudante por cobranças ilícitas

 


DIRECTOR CLÍNICO DO HCN IMPLACÁVEL COM PREVARICADORES E SAÚDA A COLABORAÇÃO DA POPULAÇÃO NAS DENÚNCIAS DOS CASOS


Dois funcionários de diferentes categorias em exercício no Hospital Central de Nampula (HCN), nomeadamente, um enfermeiro, um agente de serviço e um estudante do último ano, em estágio, foram esta semana, detidos pelo Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) de Nampula, por supostamente estarem envolvidos num esquema de venda de sangue para os familiares dos pacientes internados nesta unidade sanitária.

Em conferência de imprensa concedida esta quinta-feira (15), nas instalações do SERNIC onde os acusados estão detidos, o director clínico do HCN, Anselmo Vilanculos, agradeceu a sociedade pela colaboração nas denúncias dos actos de cobranças ilícitas que se diz ocorrer nesta unidade sanitária, com destaque para a venda ilícita de sangue.

O director clínico afirmou ter recebido a informação deste caso através dos órgãos que trabalham em coordenação com a direcção, e graças as denúncias populares foi possível neutralizar os colegas. Os detidos deverão ser investigados para apurar a veracidade dos factos.


“Neste momento, queremos exortar a todos os funcionários do Hospital Central de Nampula, a não se deixarem iludir, não caírem em actos que depois possam criar problemas para seu futuro e das suas famílias”, exortou o dirigente.

Os imputados refutam as acusações que pesam sobre si, embora o SERNIC afirme tratar-se de um caso em seguimento desde Janeiro passado. Foi graças as investigações levadas a cabo pelo SERNIC que se chegou a neutralização do estudante, em flagrante delito na posse de 1.500,00 (Mil e Quinhentos Meticais), a troco de uma unidade de sangue, isto no dia 7 de Julho corrente.

De acordo com o SERNIC, o estudante pertencia a uma rede desmantelada a partir da detenção.

“O grupo era liderado por um agente de serviço, que obedecendo orientações claras ia abordando os utentes que necessitavam de sangue para contactar o enfermeiro em serviço, que por sua vez, retirava o líquido vital, mediante a quantia estimada em 1.500.00".


Passam duas semanas que fora desencadeada uma campanha de doação massiva de sangue no HCN, e em entrevista o director geral convidou o público em geral a denunciar todas as práticas atentatórias ao bom nome do Hospital Central de Nampula que se rege do lema, O NOSSO MAIOR VALOR É A VIDA, bastando para tal, usar as linhas telefónicas afixadas nos diferentes departamentos, bem como na página do Facebook do hospital e, o gabinete do utente. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Tens algo a dizer? Deixe aqui na caixa de comentários e nós agradecemos.